Os Maias e a recuperação da água pluvial

OLYMPUS DIGITAL CAMERA

Os Maias e a recuperação da água pluvial

 

Diversos estúdios descobriram técnicas inovadoras de civilizações antigas que aproveitaram os recursos da naturaleza de forma sustentável. Os Maias são um grande exemplo, já que conveviram por muitos anos de forma harmônica com a Mãe Terra.

Um investigador da Universidade de Cincinnati publicou um artigo onde destaca o Sistema de Coleta de Àguas Pluviais dos Maias. Segundo Vernon Scarborough, uma série de estruturas de roca em Tikal, Guatemala (um dos maiores depósitos arqueológicos e centros urbanos da civilização Maia pré-colombiana) é a chave para que a Cultura Maia pudesse albergar e manter até 80.000 pessoas no ano 700 a.C.

Garantir o acesso à água potável foi um dos principais desafios para sustentar uma população tão grande, em um ambiente onde as chuvas eram temporais e os períodos estendidos de seca comuns.

Porém, os Maias desenvolveram tecnologias sofisticadas e duradouras. Com muito cuidado, integraram as construções ambientais, praças expansivas, caminhos, prédios e canais, em um sistema de coleta de água. Em Tikal, por exemplo, os antigos maias coletaram toda a água que caía na superfície pavimentada e a levavam para reservatórios. Adicionalmente, a cidade, as superfícies da praça e os canais estavam inclinados para fazer chegar o líquido da chuva até as “presas” (como são chamadas as diferentes estruturas de roca da Cidade Maia).

Para purificar a água, os maias utilizaram caixas de areia de quartzo que serviam como filtros. Esta areia não se encontra de forma natural na região de Tikal, pelo que eles viajavam pelo menos 30 quilômetros para obtê-la.

Fonte: Planeta Azul, Equilibrio

Fotos: Bernard DUPONT y SXC

1 COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.